Páginas

TENTAÇÃO



Eu hoje fui almoçar com uma "amiga" e ganhei um bom bom sonho de valsa . Eu tinha contado pra ela que estou me esforçando para ficar 30 dias longe dos purpurinados... eu não comi. Coloquei o chocolate dentro da bolsa e não vou comer.


Eu assumi um compromisso sério este mes comigo mesma. Estou com vontade sim mas não vou comer! Este é um prazer momentâneo e sei que se sucumbir , não saberei lidar com a culpa. O preço é muito alto e não tenho como pagar... quando terminar o prazo de 30 dias que estabeleci , comer chocolate terá sabor de vitória e então, comerei sem culpa.


Pensando nisso, vou publicar um texto que li e "chupei" de um blog tempo desses (não lembro qual).


Quem quer emagrecer

Quem quer emagrecer (e continuar magra) vive num constante dilema quando come um dos alimentos que a culpa arruma na prateleira dos proibidos. O cheiro e o saber de uma comida gostosa são um prazer e tanto. Mas quem está com excesso de peso se sente tão culpada que esse prazer fica contaminado e diluído. E continua comendo, em busca da satisfação que não consegue encontrar - a sensação de prazer nunca se completa.


Para muitas, chocolate é a maior tentação. Pesquisadores afirmam que ele é o primeiro alimento que vem à mente quando se está a fim de comer algo.O motivo? Porque é a combinação perfeitamente irresistível de duas coisas muito apreciadas: açúcar e gordura, sem falar de textura, aroma e sabor. A ciência nem precisa nos explicar que o chocolate produz endorfinas que inundam o cérebro de prazer. Nós sabemos....


Mas quem sente muita culpa quando é invadida pelo desejo de comer chocolate acaba por aceitar qualquer coisa coberta com ele. E dessa forma, não mata a vontade. Quem está procurando emagrecer e adora comer chocolate, fica tentando equilibrar a força de vontade, entre jamais comer a gostosura e o impulso de engolir todo e qualquer tipo de chocolate que apareça. Ao sucumbir, o que é freqüente, sente tanto remorso que come tudo bem rápido, para diminuir o tempo de culpa. E nesse processo o prazer também é encurtado. É que as papilas gustativas precisam de tempo para detectar e experimentar as sensações. Afinal é na boca que o sabor, a temperatura e a textura dos alimentos são apreciados. Se a comida passa correndo goela abaixo, vai ser necessário comer mais e mais, enchendo o estômago sem saciar o apetite. A tendência é continuar comendo, uma vez que nada mais há a fazer quando uma promessa é quebrada (a de ficar na dieta).


Quem age assim deve se permitir comer o chocolate (ou qualquer outro alimento preferido). Não todo o chocolate e sim aquele pedaço que você deseja, de coração. A dica é comer sentada, degustando calmamente cada pedacinho, sem pressa e sem preocupação. Quando a indulgência é acompanhada pelo prazer total, a satisfação também é completa, sem dolorosas associações de culpa. É dessa forma que se consegue manter um pacto fundamental para o sucesso da dieta: o de saborear a delícia outra vez, somente na próxima semana.


Quando não existe pecado

Às vezes complicamos nossas vidas quando nos sentimos mal por ceder a pequeninos e inocentes prazeres. Alguém me contou que não conseguia emagrecer seguindo um bom planejamento alimentar porque adorava terminar suas refeições comendo um pedacinho de queijo com café. Mas porque isso seria um empecilho? Afinal, uma fatia média de queijo minas light equivale a apenas 1 ponto no programa alimentar PontosAtivos do Vigilantes do Peso.


Cerveja é outro tipo de indulgência que muitos gostam de saborear. Não exagerando na dose, um ou dois copos no final de semana ou vez por outra com os amigos, podem perfeitamente ser incluídos no esquema do seu prazer sensorial. Uma boa maneira de manter esse prazer sob controle é beber água para matar a sede, deixando a bebida alcoólica apenas para o deleite ocasional.


Aprendendo a perdoar

Saber onde e como colocar limites nas indulgências alimentares é a chave. É algo que se aprende aos poucos, sem renunciar a qualquer sabor. Para emagrecer é necessário adotar hábitos alimentares que caibam no dia-a-dia. Não adianta seguir um regime drástico que pode durar, no máximo, um mês.


O segredo para lidar com as várias paixões alimentares que todos temos é a quantidade. Se ela for pequena e só de vez em quando, o seu progresso de emagrecer não sofrerá impedimento. Em ocasiões especiais, como festas de casamento, aniversário e outras celebrações, a tendência e exagerar na comida e na bebida. E nada de culpa: voltando ao padrão de normalidade, isto é, fazendo as refeições com equilíbrio e variedade, você não vai engordar.


O perigo mora no prolongamento da festa por dias e semanas. Nem precisam ser consideráveis quantidades de comida: pequenas e constantes indulgências, aos poucos vão adicionar mais gordura sobre o nosso corpo indefeso. Se você adora batatas fritas, peça uma porção quando estiver com alguém e divida. Se você quer sorvete na sobremesa, escolha um de frutas. E peça apenas uma bola. Se tiver vontade de comer biscoitos no lanche, tire um ou dois do pacote e guarde os restantes para um outro dia. Saboreie sempre com calma.


Dizem que o segredo de manter o corpo esbelto é provar de tudo, sem terminar coisa alguma, como fazem os gourmets. É claro que essas coisas demandam tempo, atenção e autodisciplina; mas um dia, a gente descobre que não precisa comer o último bocado que ficou no prato, a metade do sanduíche guardado na geladeira, nem o bife à milanesa que sobrou.


Céu e inferno

Nenhum alimento deve ser considerado mau ou bom. Não há garantia de que você irá para o céu se comer salada todos os dias, ou padecer no inferno porque vez por outra come um bombom. Contudo, se você nunca come legumes e verduras mas se ¿entope¿ de bombons, é natural que algumas conseqüências possam lhe acontecer, aqui na Terra mesmo. Também não traz bons resultados se você só come o que é bom para a saúde e nunca se permite algo diferente. A sabedoria está no equilíbrio.


A maioria das pessoas subestima a quantidade de comida que consome. Mesmo os que não têm problema de peso acreditam que comeram 20 a 30% menos do que na realidade fizeram. Os gordinhos, por sua vez, calculam que comeram 50% menos, e não estão deliberadamente mentindo - é que não sabem julgar muito bem o que consomem. Por isso, a queixa que mais se ouve é: "Não entendo porque engordo, não como tanto assim". Mais: pessoas com excesso de peso podem superestimar a quantidade de exercícios que praticam. E isso não e surpreendente, uma vez que elas precisam despender mais energia para se movimentar.


Feriados e reuniões com amigos e familiares também ajudam a perder a noção de quantidade, de porção. O truque nessas ocasiões é se dedicar mais a caminhar, brincar, jogar bola ou outro tipo de atividade que realmente produza alegria e descontração.

4 comentários:

VANESSA disse...

Parabéns amiga, resistindo e isso é muito bom, eu também resisto todos os dias!!!
bjss e continuamos assim , sem açucar e sem jacas no fim de semana.bjss

Malu disse...

Parabéns Cris, resista mesmo. Já já acaba os 30 dias.
Adorei a matéria viu, nossa precisava MTO ler uma matéria dessas hoje!!! Obrigada rs
bjsss

Penélope disse...

Adorei o texto.

E outra coisa. Vc é uma vitoriosa pq não resistiu a um chocolate qualquer, resistiu a um sonho de valsa. rs.

Vc vai vencer esses 30 dias facinho.

Um beijão.

Vania disse...

Eu sempre achei impossível para mim deixar de comer chocolate. Daí depois do blog, percebi que eu conseguia, sim, ficar muitas semanas sem comer chocolate! Que eu tinha "inventado" esse vício!

E percebi que o mais difícil para mim era ficar sem gordura e sem massas! Por isso me desafiar a ficar um mês sem comer açucar foi tão importante: como a maioria das coisas muito engordativas levam açucar, me afastei de todas elas.

Mês que vem vou me propor um afastamento da gordura saturada (da carne vermelha, mas também do chocolate!) e acho que será ainda melhor!

Descobri que sou "determinada" quando decido. E que depois de algum tempo as tentações são menores! Eu não tenho vontade de comer chocolate! Nenhuma vontadinha! que seja eterno enquanto dure, porque eu era assumidamente chocólatra.

Agora estou tendo que vencer a vontade de comer "qualquer coisa" compulsivamente.

Vamos conseguir né Cris?

beijos



Devagar eu Chego Lá